Resultados exatos
Procurar nos títulos
Procurar no conteúdo
Procurar nos comentários
Search in excerpt
Procurar nas mensagens
Procurar nas páginas
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filtrar por tipo
Filter by Categories
ACONTECE
Devocional
Notícias
Palavra dos pastores
Uncategorized
Vida Cristã

Data:

A instabilidade do governo do Tajiquistão pode fortalecer grupos radicais islâmicos.

O governo do Tajiquistão está impondo ainda mais restrições à população, principalmente cristã. De acordo com a Rádio Free Europe (RFE), a liberdade dos meios de comunicação está comprometida e a repressão não vem de fora, mas de dentro do próprio país. A verdadeira ameaça à estabilidade e aos valores do Tajiquistão são os movimentos recentes do próprio governo, para controlar a prática do islã, no interior do país, e marginalizar os grupos de oposição.

Segundo a Fundação Jamestown: “Ao marginalizar a oposição política e os muçulmanos piedosos do país, o regime está tomando um caminho potencialmente perigoso. Não está só pesando a mão contra o terrorismo, mas contra a população, com isso criando uma oportunidade ao Estado Islâmico, de ter mais credibilidade e legitimidade. O governo está afastando as pessoas comuns, que estão tendo suas vidas invadidas”.

Embora a instabilidade seja generalizada, em um país que sofreu uma guerra civil sangrenta, durante longos cinco anos, e isso ainda permanece na memória do povo, é ainda pior que o governo abandone o povo, de certa forma, e facilite o fortalecimento do Estado Islâmico.

“Se o regime perde a sua credibilidade com a população, sem dúvida, vai aumentar a violência. A liberdade religiosa no Tajiquistão já está bastante restrita e a situação está piorando. O regime pode ser alvo de extremistas islâmicos, mas na verdade, o alvo deste conflito será a população cristã”, analisa pesquisadores da Fundação. “A campanha deles é contra a religião em geral. Os cristãos já estão sendo interrogados e vigiados. Essa instabilidade só vai ter consequências mais negativas para a Igreja”, conclui o relatório de Jamestown.

Fonte: Rádio Free Europe, Fundação Jamestown

 

 

CategoriaNotícias
Topo
Compartilhar: