Resultados exatos
Procurar nos títulos
Procurar no conteúdo
Procurar nos comentários
Search in excerpt
Procurar nas mensagens
Procurar nas páginas
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filtrar por tipo
Filter by Categories
Devocional
Notícias
Palavra dos pastores
Uncategorized
Vida Cristã

Data:
images-10

Porém ela lhes dizia: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso. (Rute 1:20)

A família de Noemi morava em Belém, a casa do pão. Mas houve um dia em que faltou pão na casa do pão, e essa família mudou-se para Moabe em busca de sobrevivência. Em Moabe encontraram a morte, não a vida. Ali Noemi sepultou sua família. Agora, ela está velha, viúva e pobre em uma terra estranha. Noemi volta à sua terra, por saber que Deus visitara Belém com pão. Rute, sua nora, devota-lhe admirável afeição e acompanha a sogra. Ao chegarem a Belém, Noemi ergue um monumento à sua dor, trocando de nome. Ela diz às mulheres de Belém: Não me chameis Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura tem dado o Todo-Poderoso. Noemi significa feliz, e Mara, amargura. Contrariando o significado do seu nome original, Noemi veste o manto da tristeza e finca no solo da sua terra natal um monumento à sua desventura. Atribuiu a Deus todo aquele caudal de sofrimento, dizendo: Ditosa eu parti, porém o Senhor me fez voltar pobre… o Senhor se manifestou contra mim e o Todo-Poderoso me tem afligido (v. 21) Noemi não sabia, mas, na sua dor, Deus estava escrevendo um dos mais belos capítulos da história.

Deus ainda está trabalhando em sua vida. Não construa monumentos à sua dor.

Fonte: Gotas de consolo para alma – Hernandes Dias Lopes

CategoryDevocional
Topo
Compartilhar: