Resultados exatos
Procurar nos títulos
Procurar no conteúdo
Procurar nos comentários
Search in excerpt
Procurar nas mensagens
Procurar nas páginas
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filtrar por tipo
Filter by Categories
Devocional
Notícias
Palavra dos pastores
Uncategorized
Vida Cristã

Data:
naassom-azevedo-181804-1024x683

“Quando os chefes dos carros viram Josafá, pensaram: “É o rei de Israel”, e o cercaram para atacá-lo, mas Josafá clamou, e o Senhor o ajudou. Deus os afastou dele.” (2 Crônicas 18:31)

O reino de Israel se dividira em dois, Israel e Judá. Embora esses reis estivessem sempre em desavença, juntaram-se contra o rei da Síria. O rei de Judá, Josafá, era conhecido como rei justo; esse, porém, não era um traço que descrevia o rei perverso de Israel, Acabe. Embora o profeta Miqueias tivesse previsto a morte de Acabe, as duas nações tinham um inimigo comum, portanto pareceu-lhes bom pelejarem juntos.

Como precaução contra a profecia, Acabe sugeriu disfarçar-se como soldado, enquanto Josafá entraria na batalha com as vestes reais. Mesmo quem nunca entrou num campo de batalha saberia que o exército inimigo teria como objetivo matar o líder. Josafá, porém, concordou. Quando o inimigo atacou, dirigiu-se ao único rei que viram. Josafá, no entanto, orou, e Deus o protegeu. Conforme a profecia, uma flecha desviada penetrou nos encaixes da armadura de Acabe, mesmo disfarçado como simples soldado.

Josafá não errou só ao fazer aliança com um rei perverso. Ele pediu um profeta de Deus, mas não lhe deu atenção. Uma das escolhas de Josafá mostrou-se, porém, impecável. Mesmo no calor da batalha, ele clamou a Deus.

A oração não acontece apenas na quietude de um momento. Falar com Deus – deveria fazer parte tanto dos períodos de luta como dos de paz. Clame sempre a Deus nos momentos de desespero, lembrando que o livramento normalmente está a um passo da oração.

Fonte: Diante do Trono

CategoryDevocional
Topo
Compartilhar: