Resultados exatos
Procurar nos títulos
Procurar no conteúdo
Procurar nos comentários
Search in excerpt
Procurar nas mensagens
Procurar nas páginas
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filtrar por tipo
Filter by Categories
Devocional
Notícias
Palavra dos pastores
Uncategorized
Vida Cristã

Data:
homem

(Foto: unsplash.com)

Muitas pessoas vivem dentro de um contexto de vida religiosa e espiritual onde a dualidade entre viver uma vida de servo ou uma vida de filho se torna um conflito enorme, pois, quando reconhecem que Jesus é o seu Senhor e seu Salvador, se tornam servos. E esse é o caminho natural, pois é necessário reconhecer o senhorio de Jesus. Mas, ao mesmo tempo, quando O recebem, passam a ter o direito de serem feitos filhos de Deus, recebendo o Espirito de adoção. E aí? Ser servo ou filho? Eis a questão.

Vejamos algumas diferenças entre essas duas formas de posicionamento. A primeira e, sem dúvida, mais importante está baseada na crença de identidade, pois o servo é aceito e valorizado com base naquilo que faz, enquanto que o filho é aceito e valorizado por aquilo que é. Além disso, podemos destacar que:

O servo começa o dia ansioso e preocupado, querendo saber se o seu trabalho realmente agradará ao Senhor. O filho descansa no amor da família.

O servo é aceito pelas suas habilidades. O filho é aceito por causa de seu relacionamento pessoal com o pai.

O servo é aceito por causa da sua produtividade e desempenho. O filho tem o seu lugar próprio por causa da posição que ele ocupa como pessoa.

No final do dia, o servo somente tem paz se estiver certo de ter provado o seu valor mediante o trabalho e o desempenho, e na manhã seguinte a sua ansiedade recomeça. O filho pode estar seguro o dia inteiro e saber que amanhã a situação não mudará.

Temos três crenças fundamentais na formação de nossa identidade: a crença de definição da própria identidade baseada em quem somos, a crença de capacidade baseada no que fazemos e a crença de merecimento baseada no que temos, isto é: o Ser, o Fazer e o Ter. Em alguns momentos podemos até saber quem somos, mas não entendemos ou temos dificuldades para saber o que temos ou merecemos, ou o que podemos fazer.

Uma identidade definida no Ser pode conduzir para um Fazer e Ter de forma equilibrada e saudável, assim se torna importante saber quem você é, e por isso pergunto de novo:

E aí? O que você prefere ser? Filho ou servo?

:: PRS. ALEXANDRA E ALZEIR ROGERIO DOS SANTOS (ROGERINHO)

FONTE: Lagoinha

CategoryVida Cristã
Topo
Compartilhar: