Resultados exatos
Procurar nos títulos
Procurar no conteúdo
Procurar nos comentários
Search in excerpt
Procurar nas mensagens
Procurar nas páginas
Search in groups
Search in users
Search in forums
Filtrar por tipo
Filter by Categories
ACONTECE
Devocional
Notícias
Palavra dos pastores
Uncategorized
Vida Cristã

Data:

Logo após um país se tornar instável em vários aspectos, ele abre brecha para os extremistas tomarem conta da situação, com suas ideias revolucionárias e seus próprios dogmas

Países do mundo inteiro, hoje, questionam se a corrupção não é o fator predominante que contribui para a pobreza, a instabilidade política e, como consequência o extremismo, que leva uma nação a experimentar a perseguição religiosa. Mas como? Há vários exemplos através das notícias publicadas recentemente, e que mostram que logo após um país se tornar instável em vários aspectos, ele abre brecha para os extremistas tomarem conta da situação, com suas ideias revolucionárias e seus próprios dogmas. No caso da Venezuela, onde a maior fonte de perseguição é a opressão comunista, assim como em outros países da América, como Cuba, México e Colômbia, o problema da instabilidade econômica foi o que agravou a situação, com uma taxa de inflação que chegou a 180%, sendo a mais alta do mundo. A igreja começou a ser atacada depois disso, mesmo que ainda num nível imperceptível. O motivo se originou no tráfico de drogas, como ilustra a matéria Igreja é vista como uma “pedra no caminho”.

Já no Mali, país que travou uma verdadeira guerra contra o Al-Qaeda, e que precisa inclusive de ajuda internacional para manter a segurança pública, quem tenta estar no controle são os extremistas islâmicos, que fazem de tudo para extinguir o cristianismo no país. No Quênia, onde cristãos se sentem cada vez mais vulneráveis, os ataques brutais do Al-Shabaab, como no caso da Universidade de Garissa, mostram que o país perdeu sua estabilidade e chegou a um ponto muito crítico. No Iraque, que já enfrenta uma guerra de vários anos, extremistas islâmicos estão até mesmo se aproveitando dos refugiados cristãos em seus objetivos políticos. Leia a matéria Cristãos são obrigados a assinar uma petição para entender melhor.

Agora os países europeus começam a abrir os olhos para essa realidade. Discussões entre líderes mundiais indicam que estão prestando mais atenção na corrupção. No primeiro semestre de 2016, o governo britânico sediou uma cúpula anticorrupção em Londres, com o objetivo de chegar a um acordo sobre medidas práticas para “expor a corrupção, punir os responsáveis ​​e apoiar as pessoas afetadas, expulsando a cultura da corrupção onde quer que ela venha existir”. A corrupção vem sendo apontada por eles também como uma séria ameaça à liberdade de religião, citando como exemplos os países: Líbia, Iêmen, Sudão, Nigéria, Somália e Afeganistão. O México foi citado por tentar transformar as instituições cristãs em centros de receita por cartéis de drogas, onde a extorsão de pastores e empresários cristãos é muito comum. Oremos para que essas discussões tragam bons frutos para os cristãos nesses países.

Fonte: Missão Portas Abertas

CategoriaNotícias
Topo
Compartilhar: